Image Map

sexta-feira, 18 de julho de 2014

"A tristeza extraordinária do Leopardo-das-neves", Joca Reiners Terron

Autor(a): Joca Reiners Terron
Páginas: 176
ISBN: 9788535922349 
Editora: Companhia das Letras 

► ADICIONE À SUA ESTANTE ◄
skoob

• • •

No bairro do Bom Retiro, na cidade de São Paulo, local de várias ondas imigratórias, construções antigas e mistura de culturas, vive a criatura. De hábitos noturnos, da estatura de uma criança, pacata, vestindo uma capa vermelha e galochas, ela vive trancafiada em um dos vários casarões do bairro e tem como única companhia uma velha enfermeira, já acostumada com pacientes terminais. As duas nunca saem às ruas, mas olhos atentos podem flagrar uma pequeno vulto observando a madrugada pelas grandes janelas do casarão que dizem mal-assombrado.

Seguindo pelas ruas do Bom Retiro, um escrivão insone passa as noites intermináveis na delegacia de polícia e os dias cansativos cuidando de seu pai, já em um estado avançado de demência. Solitário, o escrivão vai sobrevivendo à base de lembranças, uísque e anfetaminas.

Nos arredores de uma fábrica abandonada do bairro, um taxista obcecado por música clássica cria três rottweilers como se fossem filhos seus. Quando os cães se revelam exímios caçadores, ele passa a adquirir alguns hábitos estranhos.

Enquanto isso, o zoológico da cidade apresenta sua mais nova atração, o Nocturama, um passeio noturno pelos bosques do parque, mostrando ao público a beleza e os mistérios dos animais noctívagos, com um destaque para o inexplicavelmente melancólico Leopardo-das-neves. Segundo testemunhas, um crime misterioso aconteceu em um dos passeios noturnos, entrelaçando as vidas dessas personagens tão (aparentemente) distintas.

Essas são as peças principais do quebra-cabeça que Joca Reiners Terron cria em 'A tristeza extraordinaria do Leopardo-das-neves'. Com uma narrativa envolvente que oscila entre o texto jornalístico e o fluxo de consciência, o autor cria um ambiente sombrio e situações que beiram o surreal, com personagens muito densas. O próprio bairro do Bom Retiro, lugar onde acontece boa parte da ação do livro, é uma peça chave para entendermos o psicológico das personagens principais. O bairro, que vivenciou as ondas migratórias de judeus, coreanos e bolivianos, acabou adquirindo uma identidade própria e um comportamento semelhante mesmo sendo formado por diferentes etnias, crenças e interesses. Assim são as personagens do romance de Terron: têm diferentes origens e classes sociais, mas têm em comum a solidão, o pessimismo e a busca por algo maior que a própria existência. Um aspecto interessante é que nenhuma personagem tem nome próprio, representando a perda de identidade, mas aumentando a imersão no psicológico de cada um.

A história é totalmente narrada pelo escrivão, com ausência de diálogos, de forma não linear. Ele acabou sendo o responsável por ouvir as testemunhas do crime do Nocturama, então é a partir desses relatos que a história vai sendo construída. O enredo é misterioso, instiga o leitor a especular sobre a vida de cada personagem e seu envolvimento com o mistério do zoológico, o que torna a leitura ainda mais envolvente. A escrita de Terron me facinou, é tão distinta quanto seus personagens, leitura recomendadíssima.

0 Comments:

Postar um comentário