Image Map

quinta-feira, 8 de maio de 2014

"Não atravesso a rua sozinho" e "Te Pego na saída", Fabrício Carpinejar

Autor(a): Fabrício Carpinejar
Editora: Edelbra

Título: Te Pego na saída
Páginas: 96
ISBN: 9788566470192
Título: Não atravesso a rua sozinho
Páginas: 112
ISBN: 9788566470185




► ADICIONE À SUA ESTANTE ◄
Não atravesso a rua sozinho | Te Pego na saída

• • •


“Esta é minha biografia. Se inventei, é porque não consegui suportar a realidade.” Fabrício Carpinejar

Não conhecia nada do Fabrício Carpinejar. Já havia ouvido um ou outro comentário sobre o autor por aí, mas ainda assim não havia despertado minha curiosidade. Até que um dia eu esbarrei com uma crônica de Martha Medeiros onde ela cita Carpinejar de uma forma tão encantadora que resolvi iniciar a leitura de algo dele. 

Os meus primeiros contatos foram através dos livros que a Editora Edelbra gentilmente me enviou “Não atravesso a rua sozinho” e “Te pego na saída”. Os livros em questão fazem parte da Coleção Vida em Pedaços - que é uma pequena coletânea de crônicas em que o autor escreve as suas memórias da infância. As obras fizeram parte daquelas leituras de viagem de ônibus que tinha tudo para ser cansativa, principalmente no transporte público de Belo Horizonte, mas me proporcionaram um delicioso momento de graça e conforto e foram devorados em pouquíssimo tempo. 

Apesar de se tratar de crônicas a escrita é bem poética e é necessário ter um pouco de atenção, pois o autor diz muito através de suas crônicas, coisas que às vezes só podem ser percebidas com um olhar atento, apesar da escrita leve. Algumas frases reflexivas são jogadas no meio de seu texto, tanto que meu livro está cheio de post-it. 

Carpinejar trata de uma infância que as crianças de hoje não conheceram, e que eu tive pouco acesso. Uma época que, como o autor mesmo diz, as mulheres ainda varriam as ruas, a televisão era em preto e braço e não havia controle remoto. Por diversas vezes durante a leitura dos livros me lembrei do filme do Menino Maluquinho, por saber que parte da infância retratada no filme estava sendo contada nesses livros. 

Não atravesso a rua sozinho e Te pego na saída só me deixaram com mais desejo de conhecer outros textos do autor, tanto que já coloquei no Kobo mais um dos seus livros que em breve deve ser lido.

Mais uma vez devo elogiar aqui o belíssimo trabalho da Editora Edelbra que fez a edição dos livros de forma primorosa. Os dois contêm ilustrações de Eloar Guazzelli que ajudam a complementar e enriquecem os textos. Os títulos das crônicas são da mesma cor da capa, um deles é um laranja vivo que nos traz uma sessão de calor e o outro um azul belíssimo.


Resenha escrita por Thalita Alvarenga, do blog Cemitério dos Posts Esquecidos, a convite do Sopa Primordial.

0 Comments:

Postar um comentário